23/03/2017

3 razões pelas quais estou a dar em louca

Número 1: 
O trabalho tem sido intenso. Eu já estava acostumada a mudanças e mudei de objecto de trabalho há cerca de 3 meses. No entanto, agora deixou de ser excepção mas começou a acumular com a função anterior. Mais trabalho sujeito a mudanças constantes. Tão efémeras como o chegar de dois emails com 20 minutos de diferença. Foi stressante ao início mas agora passou a ser simplesmente desafiante. E eu prefiro desafios a tédio.

Número 2:
Ai sim, que lindo, foi verão durante 2 dias. Entre roupa de verão, horário de saída do trabalho e sol forte fiquei doente. Mas assim algo estúpido. Com direito a tosse, nariz entupido, suores frios e arrepios de febre durante a noite. Estou a ficar melhor mas as folgas vão ser de recuperação. Maravilha.

Número 3:
Estamos a *isto* de escolher o local do casamento. E tem sido doloroso. Não andava iludida, tinha feito muita pesquisa, trocado emails a pedir informações e preços... Mas o custo final desta brincadeira não vai ser bonito. Tirando esse pormenor, existe toda a logística de imaginar o dia do princípio ao fim e perceber o que é indispensável e o que podemos eliminar. Organizar um dia. Um único dia que marca o passo de todos os outros dias. Eu quero é que toda a gente se divirta. Incluindo eu e ele. Sem dramas, sem chatices. Comer, beber, rir, dançar.


Preciso de uma pausa.
motivos

09/03/2017

A luta pelas nossas ambições e adjacentes frustrações

Podemos mesmo ter tudo o que queremos? Queremos as coisas certas? Eu sei o que mais gosto de fazer. Quero poder viajar. Mas também gostava de sair mais vezes e poder jantar fora... Ir beber um cocktail a um sítio da moda. Ou poder comprar peças de roupa que me enamoram todos os meses. Mas existem prioridades. E a minha é viajar. Se tenho poupanças para o casamento, para viagens e imprevistos que possam acontecer, algo tem de ficar para trás. Costumo ser eu a ficar para trás. Se quero cortar o cabelo, adio o máximo possível. Se me apaixono por uma blusa da Zara espero dois meses. Se adorava ir almoçar a uma nova pizzaria e ter um date com o homem, ficamos antes por casa a cozinhar em conjunto.
Cada um tem a sua fixação. Um carro novo. Viajar para fora do país duas, três, quatro vezes por ano. Mobilar a casa. Poder jantar fora uma vez por semana. Ou se forem afortunados em termos de ordenado isto tudo de uma vez. Eu quero conhecer o mundo. Acho que não é pouco.

ambições

05/03/2017

1 proposta de trabalho (e 1000 dilemas feministas)

Cá em casa trabalha-se. Somos ambos afortunados por ter um emprego, um contrato, um salário. Mas nunca deixamos de pesquisar o mercado de trabalho. O que não falta são pessoas a dizer que o país está mal, que se achares uma boa oportunidade tens de te deixar ficar porque nunca vais achar melhor... Eu sou do contra. Sempre fui. Então teimo em manter os horizontes abertos.
Desta vez foi ao contrário. Recebemos uma chamada a pedir ao Carlos para ir a uma entrevista. Que a agência de emprego tinha enviado de livre iniciativa ambos os nossos currículos mas que apenas lhe pediam a ele para se dirigir a uma entrevista. Ele perguntou porquê e a resposta foi simples. "Estão à procura de um colaborador masculino." Ui...
Eu fiquei impressionada pela iniciativa da agência e por valorizarem o nosso currículo, além de ele ter sido mais uma vez seleccionado de entre as candidaturas. Já ele ficou danado pela escolha do "masculino". Que os nossos currículos são muito semelhantes, que eu sou boa no que faço e que não é justo discriminar e dar sempre primazia aos homens.
Sei que tenho ao meu lado uma pessoa justa e boa. Sei que dá valor ao papel feminino no mundo do trabalho. E apesar de saber que não o quer ou achar a atitude digna de nota ("porque é como deve ser"), fico muito orgulhosa dele.

trabalho

27/02/2017

Look | passeio na encosta do Castelo

Olha ela a aparecer de forma mais regular! Trago novas fotos mas um elemento mantém-se, as calças de ganga subida. Desta vez conjugadas de forma diferente. Se soubesse que me iria ser tão fácil conjugar este tipo de peças já tinha comprado há muito mais tempo. 
O dia de folga estava cinzento mas não posso ficar fechada em casa sob risco de dar em doida. Fomos subir e descer as ruelas do Castelo e é sempre uma novidade. Casas novas, ruas cheias de carisma e murros derrubados para dar acesso à vista lisboeta...


top Stradivarius | jacket Mango | jeans Zara | boots Stradivarius | bag Parfois