13/03/2015

autocarros de Coimbra

Todos os dias há modas novas. A nova moda relativa aos transportes públicos de Coimbra é ficar preocupada se vou chegar ao destino a cheirar a esturricado. Ultimamente, os autocarros pegam fogo como quem vai ali comprar pão. Dois já arderam até ficarem reduzidos ao esqueleto metálico. E eu nunca estive presente para ver o show e quem sabe assar umas entremeadas. Mas é o que digo, deve ser moda. Porque nos tempos em que fazia as minhas viagens no 33, 24 ou 7, o meu medo era outro. A rua Alexandre Herculano, que liga a rotunda do Papa à Praça da República, ficava particularmente perigosa quando chovia. Os paralelepípedos ficam lisos e escorregadios que nem uma enguia a pingar óleo. E existia um grupo restrito de condutores que me fazia agarrar à cadeira com as unhas e rezar pela vida. Estes cavalheiros não só desconheciam o uso de travões como também aceleravam no início da rua, que já é a descer. As diversas imagens que me passavam pela cabeça variavam entre capotar a meio e eu ser projectada por uma janela e ir em alta velocidade contra uma das árvores da Praça e rebentar numa bola de fogo. As diversões mudam mas a adrelina continua sempre presente nos serviços SMTUC.

6 comentários:

  1. Nem nas necessidades públicas o país investe. É este o nosso país!
    THE PINK ELEPHANT SHOE | FACEBOOK | YOUTUBE CHANNEL

    ResponderEliminar
  2. Que exagero! Todos os dias, eu ando em vários autocarros dos SMTUC e não é bem assim. Não há autocarros a arderem como quem vai comprar pão. Nem os motoristas andam a toda a velocidade porque nem sequer dá para isso com todo o trânsito que há sempre pelas ruas de Coimbra. Parece que andas pouca inspirada e então precisas de exagerar nas "notícias"...

    ResponderEliminar
  3. Não fazia ideia que isto andava a acontecer :/

    ResponderEliminar
  4. Oh God! Que cena! Ainda bem que isso nunca aconteceu enquanto eu vivi em Coimbra, mas também passei imensos sustos com os ricos dos condutores dos SMTUC!
    PS: Muito andei no 7, 33, e 24 ;) Vivia na Quinta da Maia, o 33 era um dos que lá ia!

    Isa M., Tic Tac Living

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também vivi lá um par de anos :D
      O 33 era o meu autocarro de estimação ahah

      Eliminar

Qualquer comentário no blog será moderado por mim. Obrigada pelas tuas palavras e visita ao By Silver! :)